Logo_PT
cvsm_parte_03_desktop_42
cvsm_parte_03_mobile_42

8 de Dezembro de 1979

8 de Dezembro de 1979

Trecho extraído do discurso feito pelo Dr. Celso na solenidade de doação da Central Geral do Dízimo à Santa Casa de Birigui – SP.

Um dia, fui ao cinema. Que sorte! Assisti ao filme “Irmão Sol, Irmã Lua”. Vocês devem ter ouvido falar. É a história de um moço chamado Francisco. Francisco.

Esse moço, um dia, resolveu dar um grande exemplo. E o fez. Era muito rico e começou a dar os seus bens a quem precisava. Ficou conhecido como São Francisco de Assis. E ele tem uma frase que para mim, para mim, foi a palavra-pátria, a palavra-mãe:

“Houve um dia em que eu, também, acreditei em palavras”.

E, dizendo isso, ele se abaixou e pegou uma pedra, virou as costas para o amigo e foi levá-la para a construção de um abrigo aos necessitados. O amigo, que queria ajudá-lo, entendeu a lição: “Houve um dia em que eu, também, acreditei em palavras”. Abaixou-se e começou a carregar as pedras.

E você? Você só está falando até hoje ou está com condições de carregar a pedra?

Dr. Celso Charuri

Dr. Celso Charuri

Idealizador e Fundador da PRÓ-VIDA

Textos anteriores

1980

Um dia não haverá sombra, porque a luz não permitirá.

27 de Janeiro de 1980

Quando, na harmonia musical, você coloca um acidente, aumenta muito mais a criatividade e o seu poder em relação aos conjuntos harmônicos. (…)

1980

Um dia não haverá sombra, porque a luz não permitirá. Um dia não haverá ninguém com pontos de orgulho, nem vaidade, pontos onde

error: Conteúdo reservado ao Site da PRÓ-VIDA.

X