18 de Dezembro de 1979

Um indivíduo entra numa cidade e esta cidade tem muitas ruas e ruelas, e ele fica andando pelas ruas e ruelas desta cidade. Ele percebe que é tudo muito difícil. Ele percebe que as ruas são muito apertadas, que as pessoas dão trombadas umas nas outras. Ele não tem ideia de trânsito. Ele não sabe […]

12 de Dezembro de 1979

Existe dose de Amor? Amor pode ser dado em dose? Amor não tem dose. É a essência total da plenitude. A expressão dose sugere a ideia de peso e, se o Amor é peso, ele sobrecarregaria e levaria ao sofrimento, uma vez que dependeria de distribuição em dose por peso; se sobrecarregaria em peso. É […]

30 de Novembro de 1979

Dr. Celso, falando sobre o Sentir, simula a meditação de uma pessoa: “O que eu procuro…? “Sabe, meu Deus, eu olho para o céu, vejo as suas estrelas, vejo toda esta imensidão, vejo este infinito… e percebo que não tenho condições de saber o que eu procuro. Mas, ao mesmo tempo que eu não tenho condições […]

18 de Agosto de 1979

Existe algo no universo mais maravilhoso do que a Paciência? O próprio tempo não é a Paciência? E quem vence o tempo, senão a própria Paciência? Você não vence o tempo. Nada vence o tempo, o tempo não para. Quem é capaz de fazer um bloqueio para o tempo, senão a Paciência? Ela é o […]

18 de Julho de 1979

Ao atingirmos um objetivo, sempre queremos atingir outro, e assim é o processo Vida. Nela, ou você atinge o alvo final, ou você começa outro processo. A Vida é o conjunto de processos, experiências, para se atingir os alvos. Você aprende até o último instante. Cada vez que você aprende, você cria ilusão para aprender […]

17 de Dezembro de 1981

No Néctar Restaurante, para a Circular de janeiro de 1982.   ILUSÃO DOS SENTIDOS E pelo que os olhos podem ver, estava eu a olhar um rosto que, segundo os padrões de beleza, conceituados segundo meu conhecimento, se apresentava angelical. Subitamente, um desejo de aprofundar a visão, pois uma pergunta se fazia presente em minha […]

Circular de Dezembro de 1981

Como vai a sua mente? Deve estar confusa! Afinal de contas, a casa está cheia. As poltronas estão todas ocupadas, não há espaços vagos. Os moradores são todos diferentes e, por isso mesmo, falam todos ao mesmo tempo, cada um o seu assunto, à sua maneira. Deve estar confusa, sem direção! Sem objetividade, o desgaste […]

Novembro de 1981

Carta dirigida aos alunos Amigos, É dezembro, é Natal! Mais um ano de atividades se finda. Muitas foram as realizações no sentido de construir o tão almejado Mundo Bem Melhor. Crescemos. A PRÓ-VIDA, que até então estava dentro de um útero, deve nascer agora para todos. Somos uma realidade. Todas as nossas proposições deste ano […]

Circular de Novembro de 1981

Caros Alunos, Sabemos da enorme dificuldade que todos que os têm participado ativamente de nossos Cursos sentem quanto ao relacionamento com pessoas que ainda não tiveram a oportunidade de nos conhecer. Isso se deve, sem dúvida, à compreensão maior dos aspectos Vida e seres humanos que nossos Cursos proporcionam. É sinal de evolução! Entretanto, um […]

Circular de Setembro de 1981

João era um lixeiro diferente. Sua presença fazia-se notar já pelas roupas que usava: eram limpas. João, em sua sabedoria popular, dizia que o externo é o reflexo do interno. Era de uma família tradicional de lixeiros, em que o pai, seu Alvino, orgulhava-se cada vez que nascia um homem na família, porque naqueles tempos […]