Jornal Registro - Camanducaia - MG - 22 de julho de 2006


À frente e no centro da foto, a presidente da APAE, Delbea Mara Dantas
com toda a equipe presente à cerimônia, alguns momentos antes do ato
de doação na Solenidade da Central do Dízimo de Santos/SP

APAE recebe doação da Pró-Vida de Santos

No sábado, 15, a presidente da APAE de Camanducaia, Délbea Mara Dantas esteve presente à Solenidade de Doação da Central do Dízimo de Santos na sede da cidade. A APAE foi atendida pela Pró-Vida através de um pedido feito há três anos e receberá materiais para a construção da sua sede.

Os materiais consistem em: 445 quilos entre ferro, aço e arame, 830 metros de tábuas, sarrafos e ripas, 25.200 unidades entre sacos de cimento, cal, tijolos cerâmicos, telhas portuguesas, blocos de cimento, caibros e vigas de madeira, 60 m3 entre areia e brita, 530 unidades entre materiais elétrico e hidráulico e 540 metros de mangueira e tubos de pvc.

Junto com a presidente, estiveram presentes outros convidados, entre eles o diretor da APAE, João Romildo, a professora Vera, a arquiteta Xinha e autoridades do Executivo e Legislativo.

Délbea representou em seu discurso as 10 instituições presentes à ocasião, que compareceram para receber doações, entre materiais de construção, ambulância, lavanderia industrial, padaria e outros itens.

Estavam presentes as instituições para o recebimento de doações: APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Camanducaia, Casa da Infância e da Juventude de Aparecida/SP, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Cassilândia/MS, Lar São Vicente de Paulo, de Carmo da Cachoeira/MG, Conselho Central de Lima Duarte da Sociedade São Vicente de Paulo, de Lima Duarte/MG, Associação Abrigo de Carmo da Cachoeira/MG, Associação Feminina de Proteção à Maternidade e à Infância de Curitiba/PR, Núcleo de Dança Portadores de Alegria de Macaé/RJ, Casa Santa Marta de Jundiaí/SP e Associação dos Voluntários do Hospital de São José, de São Vicente/SP.

Durante o discurso do aluno Renato Costa, muito feliz em sua explanação, ele declarou: "(...) nos dias de hoje, em que o homem só quer ter, ter, e ter, não importando o meio para ter, aparecemos nós para dar, para dar aquilo que nos pedem, aquilo que se compra com dinheiro, quem somos? Somos aqueles que um dia tivemos o elevado privilégio de conhecermos o Dr. Celso Charuri, (...) sabedor da conduta do ser humano, resolveu mudar a situação, ele criou a Pró-vida, Escola Filosófica que tem como objetivo desenvolver e ampliar a consciência dos seus participantes. (...) A lei promulgada por Jesus Cristo há dois mil anos assim dizia: Quem tem dá para quem não tem, e não precisa ser tudo, dê apenas 10%. Você que tem mais cultura, mais conhecimento e mais dinheiro, dá 10% para aquele que não tem e fica com os 90% restantes para as suas necessidades. Essa é a lei do Dízimo: justa e generosa".

Délbea declarou ao Registro que, com essa doação, o seu sonho de abrigar as crianças da APAE, dignamente, está próximo de se tornar realidade. Ela informa que a construção da APAE será iniciada o mais rápido possível e que terá a ajuda da Prefeitura Municipal para um aterro, através de um mutirão. Ela agradeceu à Pró-Vida, em nome das dez instituições presentes e com o auditório lotado, com algumas observações, registradas do seu discurso: "Agradecimento, é o sentimento mais forte que me acompanha (...) Não sonhamos sozinhos, buscamos tornar realidade um desejo antigo (...). E como sonhando em conjunto nos unimos também aos desejos do Criador, tínhamos a certeza de que no alvorecer de um novo dia receberíamos o indicar de uma direção, através do afago que Deus nos faz diariamente em nossas almas quando direcionamos nossas preces aos mais respeitosos pedidos de luz (...) Ao contrário das máximas de que para vencer é preciso subir, descemos do planalto e viemos ao nível do mar para receber daqueles que doam com a mão direita sem que a esquerda saiba, uma ajuda providencial ofertada para que seja possível ver o sorriso daqueles que costumeiramente são afastados da seara das ricas oferendas (...) Ao externar meus agradecimentos à Central de Dízimos, administrada pela Pró Vida, o faço trazendo-lhes os gestos simples, porém, vigorosos de cada criança; o sorriso inibido, porém, vital para nossas vidas e de cada mãe e por vezes o silêncio das vozes contidas e impedidas pelo destino, mas que ecoa em nossos corações de forma a ampliar nossa luta cada vez mais aguerrida em prol de todos os especiais que de nós precisem".

Matéria original do Jornal Registro